Porque o intercâmbio é importante pra você

Porque o intercâmbio é importante pra você

Tempo de leitura: 7 minutos

Hoje quero conversar com você sobre como é importante que você faça um intercâmbio. Seja ele pra qualquer lugar do mundo. Ou no meu caso: China!

O Meu Intercâmbio

Primeiramente, vou falar sobre a importância que teve na minha vida.

Eu tinha acabado de me formar, eu fazia faculdade de administração na UERJ. Mas eu levava a vida naquele jeito:

Pô, que faculdade chata… Eu não gosto das coisas que aprendo aqui, não acho que são tão úteis assim… Eu quero trabalhar com uma coisa que eu goste e uma coisa que eu sei fazer bem!

E aí eu vi algumas matérias como por exemplo: gestão de estoque.

E pensava: o que eu estou fazendo aqui?!

Não que não seja importante… Mas não era aquilo que eu queria estar aprendendo no momento.

E ai, nesse meio tempo, surgiu a oportunidade de fazer um intercâmbio pra China! E como foi essa oportunidade? Vou explicar, continua comigo:

Uma professora, que é minha amiga há bastante tempo, conversando comigo e com meus amigos, falou que todo ano tinha bolsas de estudos pra China disponíveis.

E que seria interessante se a gente se inscreve para participar dessa bolsa de estudos, porque nosso mandarim era bom e tudo que a gente precisava fazer era passar numa determinada prova.

Então eu fiquei curioso e como a minha vida na UERJ não tava “tão divertida” (vamos dizer assim, rs)…

Vou abrir um parenteses rápido aqui: quando a gente quer atingir um objetivo, geralmente vamos precisar fazer coisas que não gostamos. Porém, lá na UERJ eu não gostava de nada. Não gostava das aulas, dos professores, do meio que eu tava inserido, tinha poucos amigos, enfim…

Voltando!

Não tava bom! E só o que eu precisava fazer era passar na prova.

Se eu passei? Passei, né!

E aí solicitei meu intercâmbio junto com dois amigos meus, que estudaram mandarim comigo no ensino médio.

E óbvio, nem todo mundo que estudou no ensino médio comigo sabem falar mandarim. Muitos deles desistiram no meio do caminho ou não deram tanta importancia na época.

Mas surpreendentemente, todos que estudaram de fato, usam esse idioma para alguma coisa e conseguem ganhar dinheiro com ele.

Assim que nosso intercâmbio foi aprovado: da noite pro dia (com um semestre concluído na UERJ) eu já precisei arrumar minha coisas pra encarar um ano na China!

E aí minha vida mudou!

E mudou mesmo! Eu comecei a fazer as coisas com mais vontade. Até porque estava fazendo o que eu gosto: lidar com idiomas e viajar!

O primeiro impacto do intercâmbio:

Quando eu cheguei na China foi muito curioso porque:

  1. Eu não venho de família rica
  2. Mas também nunca passei necessidade
  3. Morar com seus pais te garantem “mordomia”

E foi ai que eu percebi que estava “sozinho”. Eu tinha meus amigos ali mas agora eu era um “adulto”.

Eu tinha que pagar as minhas coisas, cuidar da casa, fazer minha comida, organizar minhas contas pra não acabar o dinheiro antes do final do mês…

Então em questão de amadurecimento, isso foi muito bom pra mim. Porque foi como se eu tivesse virado um adulto da “noite pro dia”.

(Noite pro dia não, porque minha viagem durou dias. No sentido de chegar até lá, confesso que foi ruim. Eu precisei ir pra Dubai, fiquei mais ou menos 14h lá, depois fui pra Guangzhou, fiquei mais tempo lá. E só depois fui pra Shijiazhuan, que é o lugar que eu morei.)

Uma dica:

É muito importante que você conheça a cultura, para que consiga respeitar. Logo no primeiro mês eu precisei lidar me adaptar a muitas coisas.

E no auge da “molecagem”, no primeiro mês na China, eu tive a capacidade de tomar bronca porque por exemplo, estava com som alto no quarto tarde da noite.

E mais que isso, durante esse período, nós recebemos uma ajuda de custo generosa, que era suficiente pra suprir nossas necessidades e ainda sobrava um pouco. Porém com eu disse antes, no auge da molecagem, a gente gastava tudo.

E então, nas férias de julho, onde a faculdade fechava, os amigos que conhemos por lá, viajaram. E nós ficamos porque não tinhamos um centavo pra gastar com viagem extra.

Fora que, com a faculdade fechada, a gente não tinha mais acesso a tudo lá dentro porque muitas coisas estavam fechadas. Ou seja, era preciso pegar um táxi (porque o inverno de lá não é brincadeira como o daqui) para pode ir à supermecados e lojas do tipo.

E esse era só o ínicio do perrengue: tivemos um problema bancário!

E adivinha só, nossa ajuda de custos atrasou, rs.

O dinheiro do inverno, só iria cair no mês seguinte. E com pouco dinheiro que a gente tinha, tivemos que viver um mês. Tomamos vergonha na cara e começamos a economizar real.

Moral desse perrengue: seja responsável com seu dinheiro e se planejem para conseguir aproveitar ao máximo.

Amizades:

Eu acho que já falei por aqui que eu sou um cara fechado. Eu sou chato pra fazer amizades. Mas no intercâmbio você conhece gente do mundo TODO!

Eu fiz uma listinha pra vocês:

Peru, Mongólia, Índia, Coreia do Sul, Paquistão, Itália, Indonésia, Rússia, Nigéria, Sudão, Etiópia…

Eu tenho contado com galera de muito lugar! Isso é íncrivel! Pensa na grana que você vai economizar de hotel se quiser viajar o mundo hahaha

Além disso, você ganha a experiência de falar com diversas pessoas, de diversas culturas, com diferentes línguas!

Viagens

Uma viagem que me marcou muito durante o intercâmbio foi para a cidade de Confúcio, na China.

Essa cidade possui uma estátua gigante de Confúcio, semelhante ao nosso Cristo aqui do Rio. E essa estátua é a maior do mundo.

Confúcio é o masior pensador da China. É como se toda a filosofia de vida fosse baseada nas ideias dele. Que é o confucionismo. A sociedade oriental é MUITO guiada por ele. Uns dizem ser uma religião, outros dizem que é apenas uma filosofia…

Eu te aconselho a visitar o interior da China!

Porque na China, eles são muito receptivos. Porém, por exemplo, nas áreas mais movimentadas como Pequim, é quase que normal, porque eles estão acostumados com visitantes e vão até mesmo querer falar inglês com você.

E aí, fica ruim para excercitar seu mandarim.

Mas no interior, a recepção é totalmente diferente! Quando eles te olham e percebem que é estrangeiro, na querem falar com você.

E quando você fala o idioma deles com eles, eles ficam muito surpresos e gera ainda mais vontade de conversar e se aproximar.

Profissional:

Um currículo de uma pessoa normal geralmente vai constar coisas como:

  • Ensino médio, um curos de inglês, uma faculdade…

Agora pensa:

Um ensino médio, uma faculdade, um intercâmbio…

Muitos recrutadores já excluem pessoas pelo currículo. Então se eu sou recrutador, eu iria me interessar muito mais em conhecer a pessoa que tem um intercâmbio.

O intercâmbio mostra que você está aberto a uma experiência nova, sabe lidar com dificuldades, pode acrescentar à empresa seus conhecimentos culturais e muito mais!

Pode ter certeza que isso faz toda a diferença.

E vou te contar uma coisa pra terminar esse post: inglês não é diferencial, é obrigação. Mandarim é diferencial. #ficaadica

Bônus:

Autoconhecimento!

Num intercâmbio você se depara com situações que não viveria dentro da sua realidade “normal”. E essas situações te fazem pensar em como agir diante de determinado assunto.

Com isso você cresce muito e se conhece cada vez mais. E de quebra, aprende sobre outras pessoas também.

Você também pode me encontrar em:

Instagram: http://instagram.com/lucas.mandarim/

Facebook: http://facebook.com/Lucasmandarimfcb

LinkedIn: http://linkedin.com/in/lucasmandarim

#MandarimSemMistério:EmBreve

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *